segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Ramón Goméz Valdés y Castillo (Seu Madruga)

Nasceu na Cidade do México em 2 de setembro de 1923. Filho de Rafael Valdés Gómez e Guadalupe Castillo. Na família era conhecido como "Moncho", como todos os filhos do casal tinham seus próprios sobrenomes. Quando tinha dois anos, ele se mudou com sua família para Ciudad Juárez em Chihuahua, onde seus irmãos, Germán Valdés "Tin Tán", Manuel Valdés "El Loco", e Antonio Valdés "El Ratón Valdés", iriam começar a atuar.

No início da carreira atuou em pequenos filmes(trabalhou em mais de 100 filmes) junto com seus irmãos, também atores, e também com papéis nos filmes de Pedro Infante e Cantinflas, famosos comediantes mexicanos dos anos 60.
Embora tenha dedicado a maior parte de seu trabalho ao cinema, a carreira de Ramón atingiu seu ápice na TV, com El Chavo del Ocho.que a partir daqui passo a chamar simplesmente de Chaves, Em 1968, Roberto Gómez Bolaños, mais conhecido como Chespirito, o convidou para fazer parte de seu elenco ao lado da atriz María Antonieta de las Nieves (Chiquinha) e Rubén Aguirre (Professor Girafales). Juntos, dão início ao programa Los Supergenios de la Mesa Cuadrada, que em 1970 se transformou em Chespirito e durando até 1973.
Em 1971, Chaves estreia e em 1973 é a vez de El Chapolín Colorado. Embora tenha se destacado como Seu Madruga, Ramón Valdés fez várias outras interpretações neste último, que ficaram bastante conhecidas, como o pirata Alma Negra, Tripa Seca e a paródia aos EUA Super Sam.
Seu Madruga, no entanto, é indiscutivelmente o personagem mais cativante de Ramón Valdés. Talvez isso seja fruto de sua semelhança com o próprio ator. Para começar, vem o nome. Em seguida, a roupa: as vestimentas de Seu Madruga eram semelhantes às que Ramón Valdés usava em seu cotidiano. Três filhas de Ramón (ele se casou três vezes e teve 10 filhos, sendo que o último nasceu depois de sua morte) chegaram a dizer que seu pai sempre se vestia de maneira simples, tal como o Seu Madruga. Dizem também que alguns de seus bordões mais conhecidos eram usados por ele atrás das câmeras.
As pessoas que conviveram com Ramón Valdés afirmam que ele era, além de muito talentoso, uma pessoa de personalidade forte, mas divertida e atenciosa. Roberto Gómez chegou a dizer que ele foi o único comediante que já o fez “morrer de rir”. Afirmação semelhante teria feito Edgar Vivar, o Seu Barriga. Com o público, dizia-se que Ramón Valdés era sempre muito amável e respeitoso. Não é por acaso que conquistava o respeito e a admiração das pessoas, inclusive de seus colegas de trabalho.
Ramón Valdés sempre se esforçava para manter o ambiente de trabalho o melhor possível, portanto, tratava de amenizar brigas e até de dar uma de conciliador. Mas, em 1979, quando percebeu que mentiras e falsidades estavam tomando conta do lugar, decidiu sair e passou a trabalhar com Carlos Villagrán (Quico), que havia saído um ano antes por divergências com Roberto Gómez. Ambos fizeram várias viagens para apresentar o show Federrico, onde Ramón interpretava Don Moncho, dono de uma loja.
Em 1981, no entanto, após vários convites, Ramón Valdés voltou a trabalhar com Roberto, desta vez com o seriado Chespirito, que voltara a ser gravado. Em 1987, trabalhou com Carlos Villagrán no programa ¡Ah que Kiko! (“Kiko” passou a ser usado por Villagrán pelo fato de Roberto Gómez ter os direitos sobre o nome “Quico”), mas não ficou muito tempo, já que também se dedicava ao seu circo. Além disso, seus problemas de saúde se agravaram ao ponto de impedí-lo de trabalhar.
Ramón Valdés era amigo de praticamente todos os seus colegas, mas teve especial amizade com dois atores de Chaves: Carlos Villagrán e Angelines Fernández, a Dona Clotilde. Quando Ramón já estava no hospital, já muito mal de saúde, Carlos Villagrán percebeu a situação e, numa atitude digna de bons amigos, disse: “nos vemos lá em cima, no céu”. Com o bom humor que o acompanhou até o fim, Ramón respondeu: “não se faça de louco, nos vemos lá embaixo, no inferno”.
Mas, era mesmo com Angelines que Ramón Valdés tinha excepcional convivência. O seu papel de Dona Clotilde foi obtido graças a Ramón, que a apresentou a Roberto Gómez, o que demonstra que a amizade entre ambos surgiu antes de Chaves.
No início da década de 1980, um tumor maligno foi descoberto em seu estômago, provavelmente oriundo de outro tumor já existente em seu pulmão, Ramón Valdés era um fumante muito ativo, não largando o vício nem mesmo quando permanecia internado. Seus últimos dias no hospital foram terríveis. Ramón passou a maior parte do tempo sedado por conta das fortes dores.Morre no dia 9 de agosto de 1988, aos 64 anos de idade, faleceu, deixando as lembranças de seu humor e de seu talento como seus quase quarenta anos de carreira.
No enterro de Ramón, Angelines Fernández permaneceu cerca de duas horas ao lado do caixão, lamentando profundamente a morte do amigo. Durante todo o velório, permaneceu dizendo “mi rorro”, apelido carinhoso que atribuiu a Ramón. Amigos e familiares afirmam que Angelines nunca mais foi a mesma depois desse dia. Descuidou demais de sua saúde e acabou falecendo quase 6 anos depois de Ramón devido a um câncer de pulmão.

Um personagem de grande carisma e muito humor, com simplicidade "Seu Madruga" deixou um grande legado para seus fãs.

Fonte;
Wikipédia

2 comentários:

Marcos Camargo disse...

seu madruga sem duvidas uns dos melhores atores comediantes q existiu , gosto muito dos episodios de chaves e chapolin , mas seu madruga sempre tive um carinho especial , eu ja conhecia um pouco da historia dele e aprendi um pouco mais sobre seu ramon gomez valdes y castillo aqui , blog sempre de parabens

VH disse...

valeu!